Conhecendo Niterói

Just another WordPress.com weblog

Arquivo para Histórico

Ponte Rio – Niterói: um verdadeiro monumento

Por Déborah Vasconcellos

pedro_henrique21

Mesmo ligando a o Rio de Janeiro a Niterói, não há dúvidas de que a Ponte Presidente Costa e Silva – mais conhecida como Ponte Rio – Niterói – é um cartão postal dos fluminenses. Tanto que conquistou o quarto lugar na disputa lançada pelo jornal O Globo sobre as sete maravilhas da cidade.

Inaugurada em 1974, a rodovia é uma das maiores pontes do mundo com seus 13 quilômetros de aço, concreto e asfalto. A Ponte foi projetada para receber 50 mil veículos por dia. Hoje, recebe 140 mil e com a maior segurança. Apesar dos problemas estruturais que enfrentou por conta de descuidos e erros, desde o início da concessão em 1995 a via só melhorou. A Ponte S/A, do Grupo CCR, responsável pela administração da Ponte Rio – Niterói, conseguiu modernizar o monumento e assegurar um belo passeio aos motoristas.  Além de ser uma beleza urbana, a Ponte é também ícone em tecnologia e eficiência.

A Ponte S/A executou um amplo programa de conservação, de manutenção estrutural e de modernização operacional. Com a implantação de novas tecnologias e equipamentos, como painéis de mensagens, semáforos e câmeras de vigilância, e equipes treinadas de plantão e serviços de atendimento aos usuários, a concessionária transformou a Ponte Rio – Niterói.

Em 2000, a concessionária executou a maior intervenção de operação e obras da história da Ponte: os caixões metálicos da superestrutura do Vão Central foram reforçados internamente e, por fora, a substituição do pavimento asfáltico por concreto armado constituiu uma laje de reforço estrutural adicional, com excelente trafegabilidade e baixíssima manutenção.

Dentro do vão central, onde a rodovia tem o seu ponto mais alto, chegando a 70 metros de altitude, funciona o sistema de Atenuadores Dinâmicos Sincronizados (ADS). Composto de 32 conjuntos de molas e pesos, o ADS neutraliza as oscilações da estrutura sob fortes ventos. Assim, a Ponte não mexe mais! O sistema é tão interessante que recebe a visita de estudantes e empresários do mundo inteiro.

Quer saber mais sobre a Ponte e como visitar suas instalações? Basta ligar para o Disque CCR Ponte, no número 2620-9333. A Ponte S/A funciona na Rua Mário Neves, número 1, Ilha da Conceição.

Anúncios

A cultura está na UFF

Por Déborah Vasconcellos

A Universidade Federal Fluminense (UFF), espalhada por prédios históricos de Niterói, merece a atenção dos turistas. Sua estrutura chegou a entrar na lista de votação como uma das sete maravilhas de Niterói. Apesar de não ter vencido, a faculdade tem o carinho dos niteroienses, pois, além de ser uma das mais importantes universidades do Brasil, a UFF possui o mais completo centro cultural da cidade: o Centro de Artes UFF. Com teatro, cinema, galeria de arte e arquitetura primorosa, a Reitoria da UFF, na praia de Icaraí, encanta.

foto59

O prédio, de estilo art-déco, foi originalmente o “Hotel Balneário Cassino Icarahy”. Em 1939, foi demolido, dando lugar às novas instalações do Cassino. Funcionou até 1946, data da proibição do jogo no Brasil, mantendo apenas as atividades de Hotel e Restaurante. Em 1967, instalou-se no prédio a Reitoria, procedendo desde então algumas reformas, inclusive construindo anexos para o cinema e o teatro.

É na Reitoria que funciona o Centro de Artes. Como pólo de produção e difusão cultural realiza programas voltados para todas as manifestações artísticas. Exposições, shows, concertos, ciclos cinematográficos, peças teatrais e apresentações diversas promovem uma verdadeira e produtiva interação artístico-cultural da universidade com a comunidade. Em seu conjunto de espaços, reúne a Galeria de Arte, o Espaço UFF de Fotografia, o Espaço Aberto UFF, o Cine Arte UFF e o Teatro da UFF. O Centro de Artes, que recebe anualmente um público estimado em 120 mil pessoas, em 1994 recebeu da Fundação Cesgranrio o Prêmio Qualidade Cultural, na categoria Cultura no Âmbito da Educação, pela excelência de sua programação.

Dentre as atrações do prédio da Reitoria, se destacam o Cine Arte UFF, o Teatro da UFF e a Galeria de Arte. Criado em 1968, o cinema é marcado pela bela arquitetura, preço baixo de ingressos e filmes culturais em cartaz dificilmente encontrados em outros cines do Rio. O teatro está aberto ao público desde 1982 e oferece espetáculos teatrais, shows musicais, balés, debates e seminários. No mesmo ano, a UFF montou sua Galeria de Arte, que divulga e estimula a produção da arte contemporânea brasileira. Vale a pena conferir.

Para mais informações e visitas, a Reitoria da UFF fica na Rua Miguel de Frias, n° 9, em Icaraí. O telefone é: 2620-8080. 

Museu Arqueológico e Duna de Itaipu

Por Vinícius Moreira

Basta chegar na estação das barcas de Niterói para perceber a estreita ligação entre a cidade e o povo indígena. Uma imponente estátua do índio Araribóia, que lutou ao lado de Estácio de Sá contra os invasores franceses, saúda os recém-chegados à cidade. Isto sem contar os diversos bairros e locais com nomes indígenas, como Icaraí e Itaipu. É neste bairro, aliás, onde se encontra a Duna de Itaipu, um sitio arqueológico que guarda resquícios de centenas de indígenas que escolheram o local para residir, há centenas de anos atrás.

A Duna de Itaipu, um dos principais sítios arqueológicos de Niterói

Por diversas gerações, estes habitantes morararam, se alimentaram e foram enterrados na região, enquanto diversas camadas de areia depositavam-se sobre o local, preservando resquícios da cultura deste povo, um dos primeiros habitantes de Niterói.

Também conhecido como sambaqui, este tipo de sítio arqueológico é comum em diversas regiões do país, próximos a praias e lagos. A Duna de Itaipu foi reconhecido como sítio na década de sessenta junto ao Iphan e desde então vem sendo preservada e estudada. O material proveniente deste e de outros sambaquis de Niterói podem ser observados no Museu Arqueológico de Itaipu.

Praça de Itaipú, s/n – Itaipú
Fone: (21) 2709-4079
Horário de Funcionamento: 4ª a dom. das 13:00 às 18:00 h
Entrada Franca

Mais uma boa pra você

teatro municipal de niteroi

teatro municipal de niteroi

Por Camilla França

Quantas vezes você já passou com pressa pela Rua XV de Novembro, no Centro de Niterói, e entrou no Plaza Shopping para satisfazer um “desejo alimentar” ou simplesmente consumir e não se deu conta de quanto poderia adquirir de cultura somente caminhando menos de 100m? Quantas vezes você já prestou atenção para a programação do Teatro Municipal João Caetano?

Neste mês de setembro, o Teatro já mostrou atrações como Ana costa e Leila Guimarães. Entretanto, quem ainda quiser aproveitar as atrações deste mês, ainda haverá as participações de Luis Melodia – 12 a 14, às 21h e domingo às 19h e entrada R$ 50,00 ; Cia de Ballet da Cidade de Niterói – Tempos Líquidos – 18 a 28, de quinta a sábado às 21h e domingo às 19h e entrada R$ 20,00; Diva Evelyn Reale e Maria Elisa Risarto – 23 de setembro às 12h30min e entrada R$ 4,00.

A diversidade de preços e horários pode tornar o João Caetano atração principal de um passeio por Niterói ou complemento de lazer do shopping, por exemplo.

Um pouco de história e conhecimento

Teatro Municipal João Caetano foi reinaugurado em 1995, após uma profunda restauração. O projeto de recuperação encarou um grande desafio que era respeitar os aspectos históricos e ao mesmo tempo dotá-lo de modernidade. Ao longo de sua história, o teatro sofreu sucessivas obras de reformas que foram alterando a forma original do prédio, adaptando espaços e desfigurando seus seus núcleos históricos, dando origem a um prédio com características de diferentes épocas. No entanto, a fachada manteve as linhas arquitetônicas neoclássicas da reforma de 1888 e 1889.

Um dos pontos turísticos mais acessíveis de Niterói, o teatro municipal João Caetano foi fundado em 1824 era denominado teatro Santa Teresa. Recebeu o nome de Teatro Municipal João Caetano, em 1900, como homenagem ao homem que o dirigiu durante anos e foi o responsável pela estréia da primeira companhia dramática nacional, em 1833, pela Sociedade Filodramática de Niterói.

Rua XV de Novembro, 35 – Centro
Fone: (21) 2717-1551
Horário de Visitação: Mediante pedido por carta

Solar do Jambeiro

Escrito por Mariana Oliveira
Ali, pertinho da UFF, fica um dos pontos turísticos que mais orgulham Niteroi. O Solar do Jambeiro (ou Palacete Bartholdy) faz parte do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional pela construção arquitetônica centenária e pelo calendário de eventos relacionados à arte. O sobrado de 8000m2 foi construído em 1872 por Bento Joaquim Alves Pereira. Lá residiram nomes como o médico Júlio Magalhães Calvet, o pintor Antônio Parreiras e o diplomata dinamarquês George C. Bartholdy. O vasto espaço do lugar também abrigou o Clube Internacional de Niterói e o Colégio das Irmãs Dorotéias.

Em 1997 o Solar foi fechado para frear a descaraterização que vinha sofrendo devido a utilizações errôneas e, logo depois, as obras de restauração tiveram início. O solar abriga a exposição permanente “Hilda & Quirino Campofiorito” e seu interior está aberto à visitação a preços populares, mas é o jardim (com visitação pública) que é um dos recantos mais aconchegantes da cidade. Lá estão esculturas, bancos trabalhados em azulejo e árvores centenárias (inclusive o famoso jambeiro!) que trazem calma e tranquilidade ao local.

Os jardins estão abertos todos os dias a partir das 9h da manhã.

Endereço: Rua Presidente Domiciano, nº 195
Bairro: Ingá
Telefone: 2109-2222 / 2109-2223
Visitação: Todos os dias